Pedro Ventura na Feira do Livro do Porto 2012

21.05.12

Pedro Ventura estará presente na Feira do Livro do Porto 2012 no dia 7 de Junho, das 17h30 às 19h30, em conjunto com o Rodrigo McSilva.

 

 


Dagon- dia 23 de Janeiro no Clube Literário do Porto

13.01.10

 

 

“Mais que uma apresentação, uma reunião em volta das artes no fantástico”

Quando imaginei como poderia ser o momento da apresentação da revista, logo me surgiram algumas ideias. Não queria apenas pegar num exemplar e apregoar o quanto ele tinha qualidade, o quanto era bonito, enfim…tentar vender o produto. Não, isso não queria mesmo! O que realmente sonhava era com um momento de união entre os leitores do género, os autores da revista e os demais que marcassem presença. Mostrar que no fantástico existem artes e artistas excepcionais, que também vão muito além da escrita. Não ambicionava o silêncio, pois silencioso demais tem estado o fantástico português. Surgiu assim a ambição de apresentar os trabalhos de quatro autores portugueses nas áreas da ilustração, nas galerias do Clube Literário do Porto, local de excelência para estas ocasiões. Surgiu também a “necessidade” de discutir alguns temas em mesas redondas, deixando a conversa fluir entre oradores e todos os presentes. Originalidade? Não! Influências óbvias do trabalho desenvolvido antes, principalmente pelo Rogério Ribeiro. Se conseguir trazer tanta união à volta deste género como o Rogério trouxe, nem que seja por apenas por umas horas, o objectivo máximo estará conseguido. E por último a música, com a eventual presença de um pianista profissional (ainda por confirmar).

A revista consiste num desafio, mais do que numa afirmação. Um desafio à leitura, à descoberta de novos autores, novos contos, novos artigos, novas imagens e à redescoberta do melhor que se tem feito em Portugal no género… Novamente, se esta revista se conseguir aproximar dos trabalhos feitos por outros editores (tal como me foi recentemente relembrado, com toda a justiça, no fórum bbde) como o Rogério (Bang), o Ricardo (Nova) e o Tiago Gama (Phantastes) então será para mim um sucesso. Não arrogo para qualquer tipo de louro, não quero fama, não anseio por reconhecimento. Outros fizeram antes de mim um trabalho colossal. Agora dou o meu singelo contributo, para o qual sem a ajuda de todos os envolvidos não seria possível de realizar.

Quanto à substância da revista, posso afirmar que conta com autores de enorme qualidade, que fizeram um excelente trabalho. Os leitores poderão ler quatro contos, quatro artigos, uma entrevista, um pequeno texto em prosa poética e ainda conhecer o trabalho do ilustrador Miguel Ministro, ao qual pertence a imagem de capa, inspirada no conto “Dormindo com o Inimigo” de Luís Filipe Silva. Poderão ler o que pretende ser uma homenagem a João Barreiros, deliciar-se com autores portugueses, como Carla Ribeiro, Luis Canau e Nuno Fonseca e estrangeiros como Larry Nolen e Nir Yaniv. Poderão por último gostar ou não gostar e deverão criticar!

A edição assenta em três bases: dar a conhecer os melhores trabalhos dos autores portugueses (conhecidos ou desconhecidos), dar a conhecer autores internacionais e relembrar trabalhos históricos. Também não é algo original; ainda recentemente me foram apontadas as seguintes publicações: “Bang” 0, 1 e 2: Lavie Tidhar, Frank Roger, Sarah Hoyt, entre outros; “Nova”: Csilla Kleinheincz, Santiago Eximeno; e ainda outros na “Phantastes”.
Mas ainda que não sendo original, é uma aposta forte, que poderá trazer frutos:)

Não poderia ter ambicionado um local melhor que o Clube Literário do Porto, que conta com excelentes instalações e com uma filosofia que em tudo se assemelha ao implementado na revista.

Será uma revista de publicação trimestral, com o total de quatro números por ano. Estará disponível em algumas livrarias nas cidades de Lisboa e Porto e poderá também ser adquirida através de uma assinatura anual.

É sobretudo uma aposta na qualidade. Com um trabalho impecável da editora Edita-me, que  começa desta forma a sua aposta no mercado de literatura fantástica e que em tudo se afastou de um trabalho de “vanity press”.

 

Roberto Bilro Mendes

 

Fica o programa, que pode ainda ser sujeito a algumas mudanças por motivos de força maior:

Clube Literário do Porto:

 

16:30: Inauguração da exposição de arte fantástica nas galerias.

 

17:00: Cave: Mesa redonda com o tema “Ficção Científica Internacional, ilusão ou realidade?”. Oradores: Luís Filipe Silva e orador a confirmar;

 

17:45: Cave: Mesa redonda com o tema “Literatura Fantástica Portuguesa, que futuro?”. Oradores: Rogério Ribeiro e Pedro Ventura.

18:30: Galeria: Apresentação da revista “Dagon” com música ao vivo (a confirmar).

 

 

 

publicado por sá morais às 18:41

História do livro Impresso em Portugal

12.10.08

 

   Em 1487, em Faro, foi editado em caracteres hebraicos o Pentateuco por Samuel Gacon. Existiam outras tipografias hebraicas em Leiria e Lisboa até 1496, data em que os judeus foram expulsos do país.

   Em 1494, na cidade de Braga, o impressor alemão João Gherline, imprimiu o Breviarium Bracarense, que ficou conhecido como o mais antigo inconábulo em latim impresso em Portugal.

   Em 1495, em Lisboa, os impressores alemães Niculau de Saxónia e Valentim Fernandes de Morávia publicaram a tradução de Vita Christi de Ludolfo de Saxónia.

   Em 1497, no Porto, o primeiro impressor português, Rodrigo Álvares, imprimiu na nossa língua as Constituições do Bispado do Porto e os Evangelhos e Epístolas.

    A tipografia teve na primeira metade do séc. XVI o seu período áureo, para decair até ao séc. XVIII, integrando uma tendência europeia. No séc. XVIII, graças ao impulso de D. João V, o livro português teve o seu período de maior esplendor como provam as magníficas edições da Real Academia de História.

    A partir de 1830, volta um período de decadência, apesar do Romantismo trazer novos aspectos estéticos.

    Em meados do séc. XX, com as novas técnicas e graças ao exemplar de luxo, de tiragem especial e limitada, o livro renova-se em Portugal e passa mesmo a ser tido como objecto valioso em si mesmo.

    Hoje em dia, o livro impresso enfrenta novos desafios, relacionados com as novas tecnologias, que julgo conseguirá novamente ultrapassar, talvez reduzindo-se quantitativamente, mas aumento ainda mais o seu valor como objecto artístico e cultural. O livro impresso é um sobrevivente e julgo que existirá, enquanto o Homem existir.

 

 

Pedro Ventura

( com adaptações de textos de Jorge Peixoto, de 1961 )

 

Gosta de livros? Visite este lugar

 

 

Fantasporto 2008

20.02.08

 

O Crónica de Feaglar sauda a realização de mais um Fantas! Obrigado por um esse oásis de fantástico.

 

28º FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DO PORTO

  

Este ano o Fantasporto começa mais cedo. A 28ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto vai chegar a mais pessoas, mais facilmente. Além do aumento de salas onde vão ser exibidos filmes Fantas (Teatros Rivoli e Sá da Bandeira, e ainda 10 salas de cinema Lusomundo espalhadas pelo país), a abertura oficial está marcada para o início do festival – Segunda-feira, 25 de Fevereiro. às 21.30h no Grande Auditório do Teatro Rivoli.

  

O final de festa da 28ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto espera-se de arromba. No Sábado, 8 de Março, o Grande Auditório do Teatro Rivoli volta a vestir “fato de gala” para fechar a festa do cinema em Portugal. A partir das 21.30h conhecem-se os vencedores do Fantasporto 2008. Depois… lugar ao cinema. Afinal é para servir a Sétima Arte que cá estamos.

  

O Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto está de volta. A 28ª edição volta a elevar a cidade do Porto a capital mundial do cinema. O festival abre oficialmente no próximo dia 25 de Fevereiro. Para a sessão de abertura está reservado o multipremiado filme “No Country for Old Men” dos irmãos Coen (“Fargo”), sendo antecedida a sessão de um espectáculo multimédia e animação diversa na entrada do Teatro Rivoli. Uma passadeira vermelha, robots de luzes e teatro de rua ajudam ao glamour com que se vai celebrar este início de festa. Na sala, uma abertura diferente, encenada, um espectáculo que antecede a grande antestreia que marca o início do evento.

Goor - A Crónica de Feaglar

03.03.07

 

Fantasia épica "high fantasy"- Produto Nacional

Locais onde está à venda: Aqui! (Lisboa e resto do país )

E também disponível Online: LivrosNet

                                                     Bertrand

                                                      FNAC

pesquisar

 

comentários recentes

mais comentados

arquivos

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

Junho 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30