7 comentários:

Gostei da tua critica! Acho que vou adicionar aos livros que tenho de ler! :)

Sim e bom ver escritores Portugueses a comecarem a ter notoriedade!

Espero vivamente que tu um dia tenhas a notoriedade que mereces!
Uma traducao dos teus livro para EN acredito que faria maravilhas!

Abraco
DML a 20 de Outubro de 2008 às 09:27
Coloca na lista! É nacional e bom!


A tradução... Eu não tenho tempo e contratar um tradutor... bem, a crise anda por aí...

Abraço!
sá morais a 21 de Outubro de 2008 às 22:28
Olá!!
Obrigada pela crítica, acho que compreendeste muito bem o "meu mundo". Esta visita ao teu espaço já me animou o dia!

Abraço...
Carla
Carla Ribeiro a 20 de Outubro de 2008 às 14:09
O prazer de ler foi todo meu, colegA.

Tudo de bom!
sá morais a 21 de Outubro de 2008 às 22:31
:D Vi o teu comentário no meu blog... Claro que, assim que o tempo me deixe, vou escrever qualquer coisinha (provavelmente muito) sobre o teu livro. Mas eu depois aviso, claro.

Keep fighting!

Abraço...
Carla
Carla Ribeiro a 22 de Outubro de 2008 às 13:45
Já conheco a escrita da Carla, quer de poesia, quer de fantasia e penso que esta critica positiva é mais do que merecida :). E fico contente por um autor já com um certo nome na escrita fantástica em Portugal faça referência a esta boa qualidade e aos bons autores que temos.

aproveito para perguntar ao Pedro Ventura se teria disponibilidade para ler um livro do mesmo género não editado e para opinar sobre o mesmo.


Bruno Pereira
Bruno Pereira a 21 de Outubro de 2008 às 13:14
Bruno,

De facto, temos muitos bons escritores. O problema é conseguirem ter pelo menos uma hipótese. O "sistema" só dá visibilidade a quem já é conhecido - veja-se o caso das figuras mediáticas. todas escrevem...

Cada página de um livro como o da Carla é uma imensa vitória pessoal. E eu leio sempre com consciência disso. Nós escrevemos "sonhos", não escrevemos "negócios"...

Podes enviar para o meu mail ( noctis2006@sapo.pt ). Não te posso é prometer que a leitura seja rápida. Tenho pouco tempo actualmente. Mas envia, que eu digo-te algo. Seria um prazer.

Abraço!

sá morais a 21 de Outubro de 2008 às 22:48