Gaivotas...

Não são apenas asas ao vento.

Não...

São movimento, cores e sons,

São memórias num dia de Sol...

E ao levar ao mar o pensamento,

Logo cresce esta tempestade...

Esta recordação...

Que me agita... 

Que faz do meu coração

Barquito pequeno,

Navegando sem destino.

Mas fosse eu uma destas gaivotas

E  tu este imenso mar...

 E juro-te que mergulharia em ti,

 Para não mais regressar...

 

Feaglar

publicado por sá morais às 19:39