Os maias não previram em seus textos e sua simbologia que no ano de 2012 o mundo vai acabar, afirmou neste sábado o peruano Ricardo González, um investigador da vida extraterrestre.

"Em nenhum momento os maias deixaram uma advertência de destruição do planeta porque não está assinalado nem em seus códices nem em seus símbolos de alto relevo, nos sítios arqueológicos", disse González à agência Efe.

Os maias, que habitaram territórios do México, Guatemala, Belize, Honduras e El Salvador entre os anos 800 antes e 900 depois de Cristo, "tinham efemérides astronômicas e grandes ciclos que, esotericamente, misticamente, alguns interpretaram como o fim de nossa civilização", disse ele.

No dia 21 de dezembro de 2012 deve ocorrer o fim de ciclo, segundo o antigo calendário maia, o que gerou um sem número de teorias, programas nos meios de comunicação, livros, sítios na internet e filmes como "2012", do diretor Roland Emmerich.

González afirmou que "temos que interpretar tudo isto como o fim de um ciclo", que começou no ano 3.113 antes de Cristo e "o início de outro, que deveria ser mais positivo, com maior esperança para a humanidade, mas não é o fim do mundo".

 

In Arquivos do Insólito

 

Nota: Assim seja!

publicado por sá morais às 22:52