Não sei como te explicar...

Sonho como a vida poderia ser,

Mas esses sonhos não têm lugar...

 

Como te poderei dizer?...

 

Deixo correr os dias iguais,

Não venço esta minha cobardia...

Velha sina de ter paixão a mais,

Velha sina de me faltar a ousadia...

 

Noites perdidas...

 

Por vezes até tento esquecer,

Mas recordo-me sempre ao tentar...

É como uma ferida na alma,

Um mal que nada consegue sarar.

 

Nesta loucura...

 

Não encontro sossego,

Cada instante não tem fim.

Sinto-me a enlouquecer.

Perco o controlo de mim...

 

Um dia terei de confessar...

 

Mas não sei...

Não sei como te irei explicar...

Esta loucura sem explicação,

Explicada só por te amar...

 

Feaglar

 

 

publicado por sá morais às 12:36