"ADMIRÁVEL MUNDO NOVO” de Aldous Huxley,1932:
Obra de ficção onde o autor descreve uma sociedade futurista que reflecte o seu desencanto com o mundo industrializado. Huxley, lança o alerta para a potencial ameaça que o progresso tecnológico representa para os direitos civis mais básicos dos indivíduos. Pensámos que nem mesmo Huxley, alguma vez previu que as profecias que imaginou em 1932 para o ano de 2500, começariam a realizar-se tão rapidamente. O mundo novo descrito por Huxley é um mundo sem valores humanos fundamentais, os indivíduos são criados em série e todos ocupam o lugar que lhes foi atribuído numa sociedade mecanizada. Em 1949, Huxley afirmava: “Na próxima geração, acho que os senhores do mundo descobrirão que o condicionamento infantil e as narcopsicoses são mais eficazes como instrumentos de governo do que os garrotes e os calabouços (...) e que a avidez de poder pode ser saciada tão cabalmente se através da indução, se conseguir que as pessoas amem a
sua escravidão...”

Tenho adiado a (re)leitura deste livro ( tal como de tantos outros... Cronos!! ) que aborda uma temática pela qual tenho grande interesse. O meu amor/ódio pela tecnologia, a meu receio de uma "uniformização" do ser humano, o controlo/concionamento das massas e o desparecimento dos valores essenciais, face a uma "mecanização" do mundo fazem-me sentir ganas de voltar a devorar esta obra de Huxley.