Um dos livros que li este Verão foi "About fiction: reverent reflections on the nature of fiction with irreverent observations on writers, readers & other abuses", de Wright Morris*. Muito interessante. Tão interessante que irei partilhar alguns excertos no blog. Quem quiser comentar, esteja à vontade...


 

*Marion Wright Morris (06 de janeiro de 1910 - 25 de abril de 1998) foi um romancista norte-americano, fotógrafo e ensaísta. Ele é conhecido por seus retratos das pessoas e artefactos das Grandes Planícies em palavras e imagens, bem como por experimentar formas narrativas. Wright Morris morreu 25 de Abril de 1998, com a idade de 88 anos. 

 

 

 


Morris nasceu em Central City, Nebraska, sua casa de infância está no Registo Nacional de Lugares Históricos. Sua mãe, Grace Osborn Morris, morreu seis dias depois de ele nascer. O seu pai, William Henry Morris, trabalhava para a Union Pacific Railroad. Após a morte de Grace, Wright foi criado por uma ama, até que o seu pai fez uma viagem para Omaha e voltou com uma jovem esposa, Gertrude. Em Menino de Will, Morris afirma, "Gertrude era mais perto da minha idade do que a do meu pai." Gertrude odiava a vida de uma cidade pequena, mas deram-se maravilhosamente bem com Wright, como eles compartilharam muitos dos mesmos gostos infantis (ambos adoravam jogos, filmes e jelados). Em 1919, a família mudou-se para Omaha, onde residiu até 1924.

 

Durante esse tempo, Morris passou dois verões na fazenda de seu tio perto de Norfolk, Nebraska. Fotografias da fazenda, bem como os personagens da vida real do tio Harry e tia Clara, aparecem nos livros de Morris.

 


Morris recebeu inúmeras homenagens, além do National Book Awards pelo The Field of Vision and Plains Song. Foram-lhe concedidas distinções Guggenheim em 1942, 1946 e 1954. Em 1975, ele ganhou o Mari Sandoz Award. Em 1979 recebeu o Western Literature Association's Distinguished Achievement Award. Em 1981, ele ganhou o Los Angeles Times' Book Prize Robert Kirsch Award pelo conjunto da obra. Em 1982, um júri composto por membros da Associação de Línguas Modernas seleccionou-o para o Common Wealth Award pelo seu papel no campo da literatura. 



 

publicado por sá morais às 22:28