THE PROTOTYPE - TRAILER 2013

26.12.12


publicado por sá morais às 22:11

Sugestão de Natal: "O Regresso dos Deuses - Rebelião" - romance épico

22.12.12
Sugestão de Natal: "O Regresso dos Deuses - Rebelião" - romance épico
 
 

Diferente. Ambicioso. Eloquente, O Regresso dos Deuses – Rebelião é o tipo de livro que qualquer aficionado por fantasia épica deveria experimentar. Lá por ser português não é motivo para se passar ao lado ou para se julgar sinónimo de pouca qualidade, muito pelo contrário. Tratando-se de uma obra nacional, é de enfatizar a importância para o reportório português que obras deste carácter têm. Caso a sinopse lhe tenha surtido interesse, aventure-se; caso não, aventure-se de igual forma. Valerá a pena. 


Pedacinho Literário

 


http://www.presenca.pt/livro/ficcao-e-literatura/romance-fantastico/o-regresso-dos-deuses/?UDSID=%A7%A7%A7%A700111021132540001324554752%A7%A7%A7%A7

Maren Jensen - Athena

22.12.12

 

publicado por sá morais às 00:38

Actividade vulcânica, e não um meteoro, teria extinto os dinossauros, diz estudo

22.12.12
A actividade vulcânica na região onde actualmente está a Índia, e não um asteróide, teria causado a morte dos dinossauros, de acordo com um novo estudo. 
Ao logo de dezenas de milhares de anos, a lava escorreu do planalto de Deccan, uma região vulcânica perto de onde actualmente está a cidade de Mumbai. 
Esta atividade teria expelido toneladas de níveis tóxicos de dióxido de carbono na atmosfera e provocado a extinção em massa por conta de um aquecimento global e acidificação dos oceanos, segundo uma pesquisa da Universidade de Princeton.


Os achados, apresentados na última semana em São Francisco, EUA, durante o encontro anual da União Americana de Geofísica, serviram como munição para o debate que discutiu se um asteróide ou um vulcão teriam provocado a morte dos dinossauros há 65 milhões de anos.


De acordo com a outra teoria, um asteróide gigante teria se chocado em Chicxulub, no México, há aproximadamente 65 milhões de anos, e liberado quantidades tóxicas de poeira e gás na atmosfera, o que teria bloqueado os raios do sol e causado um esfriamento da Terra, sufocando os dinossauros e causando envenenamento da vida marinha. O impacto do meteoro também poderia ter desencadeado actividades vulcânicas, terramotos e tsunamis.


Contudo, este novo estudo mostra que o planalto de Deccan – uma das maiores províncias vulcânicas do mundo - já existia antes da extinção dos dinossauros e pode ter contribuído total ou parcialmente para a sua morte em massa. 
Em 2009, companhias de petróleo estavam perfurando a região da costa indiana e eles encontraram sedimentos enterrados a 3,3 quilómetros de profundidade. 
Os pesquisadores encontraram fósseis que datam do período Cretáceo-Terciário, quando os dinossauros foram varridos da face da Terra.

Junto com os fósseis, foram encontrados algumas pequenas espécies de plâncton, que estavam em conchas, após as camadas de lava, o que poderia indicar que isso aconteceu anos após as erupções. 
Os fósseis, tanto de animais terrestres quando de vegetais, sugerem que os vulcões causaram extinção em massa tanto na terra quando no mar.


De acordo com os pesquisadores que defendem que o vulcão teria provocado a extinção dos dinossauros, um meteoro não seria capaz de produzir níveis tóxicos suficientes de enxofre e dióxido de carbono para aniquilar os animais de vez, mas isso poderia ter contribuído para a sua extinção.

publicado por sá morais às 00:32

Troll

22.12.12

publicado por sá morais às 00:30

Portugal descobre nova espécie de dinossauro

22.12.12



 

O português Octávio Mateus e o suíço Emanuel Tschopp, investigadores da Universidade Nova de Lisboa e do Museu da Lourinhã, divulgaram neste domingo uma nova espécie de dinossauro a partir de achados escavados nos Estados Unidos da América.
"Verificamos que este dinossauro do Jurássico Superior [com 150 milhões de anos] que existiu na América do Norte é um novo gênero e uma nova espécie para a ciência", afirmou à agência Lusa Octávio Mateus, investigador e orientador da tese de doutoramento de Emanuel Tschopp. 
publicado por sá morais às 00:27

Descoberto planeta em zona "habitável" em órbita de estrela

22.12.12



Noctívagos e astrónomos acreditavam há muito tempo que Tau Ceti, estrela visível a olho nu da Terra, brilhasse solitária na noite, mas cientistas acabam de descobrir cinco planetas em sua órbita, um deles situado em uma zona "habitável", segundo um estudo publicado na quarta-feira.



Tau Ceti, que faz parte da Constelação da Baleia, não é apenas próxima do nosso sol (fica a 12 anos-luz), mas também é muito semelhante, em massa e irradiação. No passado, muitos olhares se voltaram para ela, em vão, em busca de vida extraterrestre.



Nenhum planeta fora detectado no entorno de Tau Ceti até que uma equipe internacional teve a ideia de testar nesta estrela sua nova técnica de colecta de dados astronómicos, capaz teoricamente de detectar sinais duas vezes mais potentes.



"Nós escolhemos Tau Ceti (...) porque achamos que ela não comportaria nenhum sinal. E ela é tão brilhante e similar ao nosso sol que constitui uma cobaia ideal para testar nosso método de detecção de planetas de pequena proporção", explicou em um comunicado Hugh Jones, da Universidade britânica de Hertfordshire.



Os astrónomos descobriram cinco planetas, com massa compreendida entre duas e seis vezes a da Terra. Um deles encontra-se na zona "habitável", nem muito quente, nem muito fria, permitindo a existência de uma atmosfera, de água em estado líquido em sua superfície, e portanto, talvez uma forma de vida.



"Tau Ceti é uma de nossas vizinhas cósmicas mais próximas, tão brilhante que nós poderíamos chegar a estudar as atmosferas de seus planetas em um futuro não muito distante", afirmou James Jenkins, da Universidade do Chile, que participou do estudo publicado na revista Astronomy & Astrophysics.



Esta descoberta confirma a nova ideia "que quase todas as estrelas têm planetas e que a galáxia deve, portanto, conter um grande número de planetas potencialmente habitáveis de tamanho próximo do nosso", acrescentou Steve Vogt, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz.



O Observatório Europeu Austral (ESO, na sigla em inglês) estimou recentemente que bilhões destes planetas existiriam na Via Láctea, dos quais uma centena na vizinhança do nosso sol.





Fonte: Terra
publicado por sá morais às 00:22

...

18.12.12

Mais de 7700 visualizações e 1024 "gosto" para "O Regresso dos Deuses Rebelião" no site da Presença.


Obrigado.

 

(clique na imagem)

O Hobbit - Uma Viagem Inesperada

14.12.12

 

 

Quase uma década após o final da trilogia O Senhor dos AnéisPeter Jackson retorna à Terra-média na adaptação em três partes do livro que começou tudo, O Hobbit. Criado como um romance para crianças, a "jornada inesperada" de Bilbo, o pequeno hobbit do título, aos poucos cresceu em seu autor, inspirando J.R.R. Tolkien a continuar a escrever e a desenvolver o mundo fantástico que havia inventado, inspirado por lendas e mitos europeus.

Aproveitando o tom mais leve e inocente da obra, Jackson deu ao longa O Hobbit - Uma Viagem Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey), o primeiro da série, doses extras de humor e aventura e, como já havia feito em O Senhor dos Anéis, toma liberdades criativas com o material original para engrandecer a história. Personagens da Trilogia do Anel, que só foram criados anos depois da concepção de O Hobbit, são "convidados" a participar da aventura, bem como personagens citados apenas nos apêndices dos livros (parte do intrincado processo criativo de Tolkien). Jackson e sua equipe de roteiristas - Fran Walsh e Philippa Boyens, também de O Senhor dos Anéis, com a adição de Guillermo del Toro, que durante alguns anos ficou encarregado do filme -, assim, tornam a narrativa simples, inventiva e apressada do livro de 1937 em algo mais palatável para o grande público moderno, que precisa da estrutura segura de seus blockbusters.

 

adaptado de Omolete

 

publicado por sá morais às 11:12

4º Aniversário do Blog Morrighan

13.12.12

Parabéns ao Blog Morrighan! 

 

"Pela dimensão e dinâmica, é um importante bastião dos livros numa sociedade que, infelizmente, ainda despreza a leitura e gosta de alardear com orgulho esse mesmo desprezo. Acaba por ser um (verdadeiro) serviço público não-remunerado. A tua vertente de divulgação dos autores nacionais tem sido estóica e só te posso estar agradecido por travares essa luta, tantas vezes inglória. A minha opinião do Blog Morrighan só pode, portanto, ser positiva. Como tenho o prazer de te conhecer, sei que está ali muita da tua personalidade. A tua tenacidade e entusiasmo permitiram cumprir com distinção estes quatro anos, quando tantos outros blogues simplesmente implodiram. Só posso esperar que estes aniversários se repitam por muitos mais anos..."


Pedro Ventura 



publicado por sá morais às 10:11

Peça metálica "demasiado antiga" encontrada na Rússia

12.12.12



Ao acender o lume, um habitante de Vladivostok descobriu uma cremalheira de metal presa em carvão. 
O homem entregou o achado extraordinário a cientistas da cidade. Após uma análise minuciosa, os pesquisadores concluíram que a peça tem uma idade de 300 milhões de anos e foi fabricada por um ser vivo. Mas cientistas não podem responder quem foi seu autor.
Um artefacto estranho em carvão não é um caso único para nossos tempos. Tais achados extraordinários colocam cientistas num impasse por destruir diversas concepções fundamentais da ciência contemporânea. 
O primeiro artefato foi achado em 1851 nos Estados Unidos, em Massachusetts, durante os serviços de explosão numa pedreira.
O vaso de prata e zinco foi feito no Período Cambriano que começou há 500 milhões de anos. Em 1912, em Oklahoma, foi encontrada em carvão uma marmita de ferro, cuja idade é de 312 milhões de anos. 
Em 1974, foi achada em areia na Roménia uma peça de alumínio de destino desconhecido. A peça, parecida com martelo, não podia ser fabricada por um humano, porque data do Período Jurássico.
O recente artefacto de Vladivostok voltou a surpreender os cientistas. O carvão, em que foi achada a peça extraordinária, foi trazido para a cidade da Khakássia e tem uma idade de 300 milhões de anos. Por isso os cientistas concluíram que a peça metálica deve ter a mesma idade.
Quando pesquisadores quebraram com cuidado o fragmento de carvão, eles descobriram uma peça ligeira e mole de 7 centímetros de comprimento, feito de uma liga de alumínio (98%) e magnésio (2%). O alumínio puro é muito raro na natureza e foi feita uma suposição de que a peça tenha uma origem artificial. 
Ao mesmo tempo, a liga não ordinária permitiu explicar bom estado de conservação do artefacto. O alumínio puro produz uma película resistente de óxidos na superfície, que impede a corrosão. 
Em resultado, a liga com o teor de alumínio de 98% resiste a altas pressões, temperaturas extremas e a um meio ambiente agressivo.
Foi ponderada a possibilidade de origem espacial de alumínio. Graças ao estudo de meteoritos, a ciência conhece a existência do alumínio-26 extraterrestre que se desintegra no magnésio-26. 
Nomeadamente a presença de 2% do magnésio na liga pode testemunhar a origem espacial da peça. Mas para confirmar esta hipótese, é necessário efetuar uma série de pesquisas adicionais.
O que chocou os cientistas foi uma semelhança descomunal da peça com uma cremalheira contemporânea. 
É difícil de imaginar que a natureza poderia criar um objecto com seis dentes de forma regular com espaços iguais entre eles. Ao mesmo tempo, os espaços são extraordinariamente largos em relação aos dentes. 
Provavelmente, esta cremalheira fosse uma parte de um mecanismo complexo. 
Pergunte-se então como tal peça complicada poderia ser fabricada por um humano há muitos milhões de anos? Para já, os cientistas não adiantam uma explicação.
Adaptado de Arquivos do Insólito
publicado por sá morais às 00:34

Preparativos 4 Anos Blog Morrighan

11.12.12

 

 

 

Dia 13 de Dezembro o blog Bran Morrighan vai comemorar os seus quatro anos de existência! Falta cerca de um mês e os preparativos para essa ocasião tão especial já começaram! Saiba mais AQUI



publicado por sá morais às 13:43

Curiosity encontra pistas sobre existência de vida em Marte

06.12.12

 

 

A sonda Curiosity, da Nasa, encontrou evidências perturbadoras de que teria existido vida no passado de Marte, mas os cientistas alertaram nesta segunda-feira que ainda é muito cedo para realizar as primeiras análises de solo.

Os instrumentos de análises de amostras (SAM, em inglês) da Nasa têm enviado informações à Terra enquanto busca compostos como metano, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio, elementos químicos que compõem a vida.

Os cientistas ficaram animados ao detectar compostos orgânicos simples no solo de uma duna, mas alertaram que os traços de carbono poderiam ter sido transportados por meteoritos ou inclusive por partículas que os instrumentos tocaram antes de partir da Terra.

"Eles esperam encontrar mais evidências de compostos orgânicos à medida que a Curiosity avançar através das areias estéreis e carreadas pelo vento de Rocknest rumo ao monte Sharp, em busca de um bom lugar para começar a cavar mais fundo", acrescentou.

"Não é inesperado que esta pilha de areia não seja rica em matéria orgânica. Tem sido exposta ao duro ambiente marciano", explicou Paul Mahaffy, principal pesquisador encarregado dos instrumentos de análises de amostras do Curiosity.

"Será uma busca excitante por ambientes remotos que possam estar protegidos deste duro ambiente superficial", acrescentaram. Os instrumentos capturaram imagens impressionantes da areia retirada da duna, que um dos cientistas descreveu como mais áspera do que farinha e mais fina do que açúcar.

O Curiosity também conseguiu analisar cristais e outros materiais encontrados na areia. Ao aquecer as amostras, eles também conseguiram detectar uma quantidade significativa de água na areia, junto com algum dióxido de carbono, oxigênio e dióxido de enxofre.

"A sonda Curiosity é como um laboratório do CSI sobre rodas", comparou Michael Meyer, principal cientista do Mars Exploration Program, da Nasa, durante entrevista colectiva.

"Estes resultados oferecem uma visão sem precedentes da diversidade química da área que é representativa do resto do planeta", acrescentou. Cientistas não esperam que a Curiosity encontre homenzinhos verdes ou criaturas vivas, mas contam em usá-lo para analisar o solo e as rochas do planeta vermelho em busca de vestígios de que os compostos químicos estão presentes e podem ter sustentado vida no passado.

O robô, de US$ 2,5 bilhões, que pousou na Cratera Gale em 6 de Agosto, também visa a estudar o meio ambiente marciano para preparar uma possível missão ao planeta nos próximos anos. O presidente americano, Barack Obama, prometeu enviar humanos a Marte até 2030.

 

In Terra

 

 

tags:
publicado por sá morais às 10:49

Battle Beyond the Stars (1980)

01.12.12

publicado por sá morais às 01:42

pesquisar

 

comentários recentes

mais comentados

arquivos

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

eXTReMe Tracker

Dezembro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
17
19
20
21
23
24
25
27
28
29
30
31