Critíca a Goor

27.12.08

Numa deambulação pela net, descobri mais uma critíca a Goor - A Crónica de Feaglar. Goor parece estar a ter sucesso.

 

"Depois de um 2008, cheio de livros de fantasia de autores estrangeiros, sendo excepção apenas "Os ossos do arco íris" e "A conspiração dos antepassados" de David Soares, e depois de muitos posts lidos sobre os autores de fantasia em Portugal, eis que um dia me decidi a comprar uma obra de um autor nacional. Do que tinha lido, e como o blog em que participava Pedro Ventura, era uma dos que eu diariamente ia consultando, decidi-me pelas crónicas de Feaglar. Comprei os dois livros das crónicas, para entrar na fantasia nacional. Seguidamente, conto continuar com mais autores tugas, Filipe Faria e Sandra Carvalho já estão na calha para 2009.

Algumas particularidades prenderam desde logo a minha atenção nos dois livros de Pedro Ventura. A requintada capa é um gozo para os olhos. Muito bem conseguida a mistura de cores, os títulos e a maneira estilo moldura como foi inserida a sinopse. O preço, infelizmente, é o que deve afastar muitos potenciais leitores de uma obra, que por si, os merecia sobejamente. E por último a tiragem. Quando uma obra com um potencial destes, tem apenas uma tiragem de 500 exemplares, eu sinceramente, fico preocupado, com o estado da literatura em Portugal.

Falando do que realmente importa, que é o conteúdo do livro, apenas posso dizer que fiquei muito impressionado e satisfeito de possuir uma obra deste envergadura. Pedro Ventura escreve bem, muito bem até. Sabe cativar, com uma história repleta de peripécias amorosas, acção, aventura e suspense. Sem dúvida que, não é um autor que perde muito tempo com descrições, tanto dos personagens como dos cenários, deixando para o ávido leitor o trabalho de idealizar e imaginar as personagens, os castelos, os mundos. Ainda não sei se esta saga se resume a dois livros, se forem mais, penso que era de todo justificado a existência de um mapa.

O ritmo da acção é alto, e posso dizer que é um livro que nos prende a atenção logo desde as primeiras páginas. Ao longo de 290 páginas, posso dizer, que por muito poucas vezes tive a sensação de o livro estar a ser monótono, ou então, que o livro continha alguma palha. Embora não tendo a fluidez e o ritmo incessante de um Martin, ou um Tolkien, o história torna-se uma fonte contínua de deleite para quem a lê.

Outra coisa que me agradou muito neste livro, foram as tiradas filosóficas, e o que elas me fizeram reflectir. É um livro cheio de grandes ideias por detrás de uma história principal.

Os personagens também vão adquirindo ao longo do livro um misticismo e uma densidade muito pouco vistas em solo nacional. O seu destino também se vai revelando aos poucos, e por vezes existem acontecimentos muito poucos previsíveis que nos fazem andar sem rumo e sem saber o que lhes irá acontecer. Os diálogos, como acontece muito em Portugal, não são muitos e não acho que sejam de extrema importância nesta obra.

Trata-se de uma saga, que apesar de fantástica, já que aparecem alguns sinais de poderes maiores, como o facto de certos personagens poderem ler a mente, mover objectos, serem possuidores de uma força anormal ou então de se poderem curar, tem muito de humano e muito de perfeitamente normal. E por detrás da fantasia, está o romance e tudo o que humanamente se pode constatar na vida das personagens. As relações entre os diversos intervenientes do livro tem um papel fundamental em toda a narrativa.

Mal acabei este livro, comecei desde logo a continuação desta saga, coisa que normalmente nunca faço, para não ficar aborrecido ou por vezes entediado, com o rumo dos acontecimentos e com o desenrolar das narrativas. Neste caso, e depois de ler o primeiro volume fiquei com vontade de continuar a descobrir este mundo.

A história, passa-se num mundo constituído por 7 reinos, que estão muito longe de estar em paz. Vários acontecimentos levam a que Feaglar, o rei de um dos desses reinos, parta numa demanda por um artefacto que se cair em mãos maléficas, poderá destruir e subjugar todos os reinos aos desejos e caprichos de uma estranha líder.

Para essa demanda, Feaglar conta com amigos que vai forjando ao longo de algumas viagens que vai fazendo ao longo do seu reino e dos restantes.

Feaglar encontra também Gar-Dena, uma mulher com estranhos poderes, que poderá ser a salvação e a única capaz de se apoderam desse artefacto maligno."

 

in JNEWTON

Bom Natal e um Excelente ano de 2009!

23.12.08

.

tags: ,
publicado por sá morais às 13:41

UNDERWORLD 3: THE RISE OF THE LYCANS (2009)

19.12.08

 

Underworld 3: The Rise Of The Lycans (2009)

Starring:
Michael Sheen, Bill Nighy, Rhona Mitra
Director:  Patrick Tatopoulos
Rated: Unrated
U.S. Opening Date: January 23rd, 2009


 

 

Para todos aqueles que gostaram dos dois primeiros (eu gostei… mais que não fosse é a Kate Beckinsale vestida de cabedal!), devo anunciar que vem aí o terceiro segmento.

 

 

 

Sem ponta de originalidade e muito na moda hoje em dia, o terceiro filme será cronologicamente anterior aos outros dois. É mais uma vez Hollywood a tentar fazer render o peixe.

 

 

 

Infelizmente nem Len Wiseman, nem a sua portentosa mulher (a própria Kate) não entraram no terceiro.

 

 

 

 

THEY SAY

 

This prequel story traces the origins of the centuries-old blood feud between the aristocratic vampires known as Death Dealers and their onetime slaves, the Lycans. In the Dark Ages, a young Lycan named Lucian emerges as a powerful leader who rallies the werewolves to rise up against Viktor, the cruel vampire king who has enslaved them. Lucian is joined by his secret lover, Sonja, in his battle against the Death Dealer army and his struggle for Lycan freedom.

FX artist Patrick Tatopoulos, who developed the creatures for the first two films, is directing.

WE SAY

A franchise that has offered little except gawping at Kate Beckinsale in a leather outfit now offers little but Rhona Mitra (Doomsday) in a leather outfit. Now, don’t take us wrong. We can gawp at Rhona Mitra as much as the next guy, but we’re not actually sure we’re willing to fork out a full movie ticket price to do so. So we’ll just catch it late on TV one night then some day

publicado por sá morais às 17:55

Personagens da Ficção Científica/ Fantástico / Terror / Aventura

14.12.08

 

 

ACTRIZ: Jewel Staite 

PERSONAGEM: Kaylee Frye Firefly

 

publicado por sá morais às 20:43

Goor - A Crónica de Feaglar 2 - Wook

06.12.08
 
Goor - A Crónica de Feaglar II
 
 
 
"Este romance de aventuras épicas “adocicado com o toque mágico da fantasia” merece, sem dúvida, a nossa atenção. Valores como a amizade e a liberdade, tão essenciais à nossa condição humana, estão aqui sempre presentes."
in Montijo Agenda
 
"Regresso a Goor, mundo fantástico capaz de fazer corar o Senhor dos Anéis!"
in Correio da Manhã
 
À venda na Wook com 20% de desconto
 
 
 
 
 

( clique no logotipo da Wook )

The Scorpions - Hurricane

05.12.08

 

 

Uma música perfeita para o que estou actualmente a escrever... A personagem principal...

 

The night is calling
I have to go
The wolf is hungry
He runs the show
He's licking his lips
He's ready to win
On the hunt tonight
For love at first sting

Here I am, rock you like a hurricane
Here I am, rock you like a hurricane
Here I am, rock you like a hurricane
Here I am, rock you like a hurricane
Rock you like a hurricane

 

pesquisar

 

comentários recentes

mais comentados

arquivos

2014:

 J F M A M J J A S O N D

2013:

 J F M A M J J A S O N D

2012:

 J F M A M J J A S O N D

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

2006:

 J F M A M J J A S O N D

links

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

eXTReMe Tracker

Dezembro 2008

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
20
21
22
24
25
26
28
29
30
31