A Orion, cápsula espacial da Nasa, chegou ao Centro Espacial John F. Kennedy, na Florida, informou a Nasa nesta segunda-feira. A nave está sendo desenvolvida para levar astronautas para asteróides, para a lua e, eventualmente, para Marte, substituindo os shuttles. A cápsula, construída pela Lockheed-Martin, tem lançamento previsto para 2014, a bordo de um foguete Delta 4 não tripulado - apesar de a nave ter sido projectada para levar uma tripulação de até quatro integrantes. "Não é um gráfico do Powerpoint, é uma nave espacial de verdade", brincou Bob Cabana durante a cerimónia para marcar a chegada da nave ao Centro. O lançamento de 2014 vai testar a blindagem de calor, os pára-quedas e outros sistemas da nave. Espera-se chegar a aproximadamente 5,5 mil km acima da Terra - para se ter uma ideia, a Estação Espacial Internacional (ISS) orbita a cerca de 380 km do planeta. Em seguida, a Orion deverá voltar com 84% da força que uma nave espacial voltando da lua teria. Humanos não voam a tantos milhares de quilómetros acima da Terra desde 1972, quando a Missão Apollo para a Lua chegou ao fim. Um segundo teste será realizado em 2017 usando o sistema de lançamento espacial da Nasa, que pretende colocar a cápsula em torno da lua, novamente sem tripulação. O terceiro teste, previsto para 2021, deverá incluir astronautas. Em 2025, a Nasa quer enviar astronautas para explorar um asteróide próximo a Terra, e em 2030 o objectivo será ir a Marte. Com a aposentadoria dos shuttles, a Nasa depende da Rússia para enviar tripulações à ISS. Para quebrar o monopólio do País, a agência espacial fez parceria com quatro companhias interessadas em desenvolver naves espaciais para transportar astronautas do governo, bem como pesquisadores privados e turistas à estação e a outras órbitas próximas a Terra. O administrador da Nasa Charlie Bolden afirmou hoje que novas parcerias devem ser anunciadas neste mês.

 

 

Terra informações da Reuters

tags: , ,
publicado por sá morais às 12:12