Há alturas em que me sinto particularmente satisfeita por o papel já ser um material reciclável. Este foi um pensamento constante ao ler este livro! Misturando diversos ingredientes do mainstream - em especial a essência do estulto e infecto Twilight com uma "proto-sobrenaturalidade" de alcova - para conseguir um "prato" de fácil degustação, o resultado só podia ser desatroso. Tal como no "original" Twilight, as personagens principais, o casalinho costumeiro, são igualmente planas, acéfalas, irritantes e estupidificantes. Os relacionamentos são novamente obsessões doentias e forçadas. Ever é uma palerminha depressiva ( considerá-la algo diferente disto é validar um estereótipo inaceitável para todas as mulheres conscientes e inteligentes ) e o Damen é o "sr. perfeitinho" em termos fisícos (o que seria de esperar?) mas um dandalho manipulador - Um dia destes talvez perceba o "apelo" deste tipo masculino! Por agora só aceito como desculpa a infantilidade, a demência ou o masoquismo. 

    Julgo que me fico por aqui sobre este bócio literário, adequado para lobotomizar.

 

3 (0-20)

 

 

 

 

publicado por sá morais às 16:24