Depois de algum tempo sem publicar nenhum livro ( apenas de minha autoria ), irei voltar às lides literárias em 2011. O livro irá chamar-se O Regresso dos Deuses - Rebelião e terá o selo da Editorial Presença. Apesar de ser "herdeiro" dos  Goor - Crónica de Feaglar, este novo trabalho não é uma continuação directa dos livros anteriores. Partilha o mesmo mundo mas a acção decorre muitos anos após os acontecimentos relatados em Goor - volume II. As diferenças não ficam por aí: desaparece a estrutura de "demanda", a acção é menos dispersa em termos geográficos e são explicadas algumas das circunstâncias "extraordinárias" que levaram aos acontecimentos dos Goor. Além de ser um "tributo" a uma das personagens dos Goor, aprofunda algumas questões e crenças pessoais ( não é por acaso que no livro surgirá uma citação de um apócrifo... ) e estabelece uma ligação com o que estou a escrever na actualidade. A magia volta a estar arredada desta obra e todas as manifestações que a ela se possam assemelhar têm um fundamento bem diferente - como afirmou Arthur C. Clarke: "Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistiguível da magia." As personagens voltam a ter uma dimensão "humana" (aquilo que muitos apontaram como uma das virtudes dos Goor), sem concepções de puro Mal ou puro Bem - até por irmos estar perante uma protagonista bastante pragmática e muito longe da impossível "perfeição", tantas vezes estereotipada. Haverão personagens "diferentes" ( não são elfos, nem gnomos, nem lobisomens, nem... ) - estando mais próximas de uma visão relacionada ( indirectamente, claro ) com as lendas de Anunnaki, os Wandjina, a panspermia, os mitos dos Apache, os gigantes da Antiga Grécia, o hibridismo do Antigo Testamento, etc... Tudo isto aliado ao relato de um enredo que tem lugar numa época decisiva em termos históricos para os vários povos. Este será o derradeiro confronto de vontades, um teste ao desejo de sobrevivência das facções opostas, empurradas por uma conjuntura singular para a beira do abismo. Esta "vertigem", que será crescente ao longo do livro irá arrastar as personagens, forçando-as aos seus limites, testando-as e fazendo-as revelar todas as suas forças e fraquezas. Além do conflito "global", serão também travadas "guerras" pessoais, interiores... Quanto ao resto, bem, a leitura desvendará...